Óleo do motor: coisas que você precisa saber

Se você tem dúvidas sobre o óleo do motor, esse texto é para você.

O óleo do motor é um derivado do petróleo e tem como base o óleo mineral, que é sintetizado e recebe aditivos para potencializar suas características. Por isso, o lubrificante sintético é mais robusto, eficiente e sua durabilidade é maior, visto que são menos viscosos e apresentam menor oxidação.

O mercado automotivo oferece óleos minerais, sintéticos e semissintéticos. Os óleos sintéticos e semissintéticos são mais estáveis e resistentes.

Se você tem curiosidade em saber como o óleo de motor é feito, assista esse vídeo aqui. 

Então como escolher para o meu carro?

A indicação do tipo de óleo está no manual do proprietário. Em geral, o óleo sintético é o ideal para carros que enfrentam trânsitos intensos, pois são mais resistentes e apresentam maior durabilidade.

Já o semissintético é composto por uma mistura de base mineral e sintética, apresenta maior estabilidade térmica e resistência à oxidação do que o óleo de base mineral. A vantagem em relação ao óleo sintético é o preço. Porém, sua durabilidade também é menor.

Quatro MITOS sobre o óleo do motor

1º Óleo de qualidade não envelhece: não é bem assim, todo lubrificante acaba sendo ‘contaminado’ com detritos. Além disso, a variação de temperatura reduz sua função de lubrificação. Por isso, quando você não faz a troca, corre o risco de fundir o motor.

2º Posso usar qualquer óleo de motor: não. É fundamental seguir as orientações do fabricante tanto quanto ao tipo do óleo lubrificante quanto ao período de troca.

3º Posso misturar óleo sintético ou semissintético ao mineral: não deveria. A mistura pode desbalancear o lubrificante e interferir na viscosidade ou na aditivação do óleo.

4º O motor deve estar quente para a verificação: pelo contrário. O ideal é medir o nível do óleo com o motor frio. Nessa situação, o lubrificante retorna ao cárter e permite uma leitura mais precisa.

Conheça os lubrificantes High Torque